domingo, 1 de julho de 2012

Um dia, Alice 2012

convite ALICE p


Finalmente o segundo evento de desaniverário da Sociedade Lewis Carroll do Brasil, agora em parceria com a Casa das Rosas.

Estão todos convidados.

PROGRAMAÇÃO 

15:00h 

FELIZ DESANIVERSÁRIO 

Introdução ao evento pela Lagarta Azul, o mestre de cerimônias Jonnatha Horta Fortes. 

A VIDA É SONHO 

Retroprojeções musicais baseadas no poema de Lewis Carroll que introduz a obra “Alice no País das Maravilhas”. Música ao vivo (Paulo Beto) + leitura (Érica Alves) + retroprojeções (Adriana Peliano). 

AS METAMORFOSES DE ALICE 

A apresentação propõe uma viagem pelas metamorfoses de Alice nas artes visuais, da Inglaterra Vitoriana até o século XXI. Palestra de Adriana Peliano apresentada por Adriana e Thereza Vasques. Marcelo Dust faz a projeção de Vídeo. 

 ERA BRILUZ 

Leituras do poema Jabberwocky por Isadora Krieger na tradução de Augusto de Campos e de traduções de Bráulio Tavares por Claudio Willer. 

Projeção de imagens criadas por Ione de Medeiros. 

Vídeo com interpretação do poema Jabberwocky por Mark Burstein. 

16:30h 

INTERVALO 

Coma-mes e beba-mes especiais aos cuidados de Bia Goll (Otto Bistrot). 

ALICE SUBTERRÂNEA 

Lançamento de uma coleção de figuras inspiradas na obra de Lewis Carroll criadas pelos artistas Adriana Peliano + Anderson Resende + Indio San. 

Edição limitada produzida pela Sociedade Lewis Carroll do Brasil. 

 GO ASK ALICE 

Releituras de músicas alicinantes relacionadas à obra de Lewis Carroll, com os músicos Paulo Beto (direção musical) + Pedro Zopelar + Érica Alves. 

17:00h 

para crianças de todas as idades. 

ESTÓRIA ABERTA 

Narração interativa baseada na obra “Alice no País das Maravilhas” por Kiara Terra.


informações: alicemaravilha@gmail.com

quinta-feira, 5 de maio de 2011

domingo, 12 de dezembro de 2010

Alice day



Motion Graphic: Chico Jolvisen
Sound design: Paulo Beto





If you were not there, lost a serendipity adventure. Two twin Alice came through a portal and receive the guests to the first unbirthday party of Lewis Carroll Society of Brazil, in may 11th. When both turned back, turned into white rabbits, inviting passengers to a great journey into the wonderful world of Lewis Carroll and his Alices. Cats, letters, hookas, drink me bottles and eat me delicious cookies played around the tea table in a garden of mushrooms watches and clouds of air. See me

See the graphic design of the program and the book mark HERE




A blue caterpillar called the attractions and unfolded itself in curious and unexpected movements.It all started with Alice Liddell entering the stage and reading an excerpt from his fictional diary which told about his friendship with Charles Dodgson, the day the story of Alice was invented and the whole universe of possibilities that have emerged there. Adriana Peliano, Queen of the LCSB entered and showed more than 100 images that followed the path of Alice's imagination in the visual arts, from Carroll's drawings to contemporary experimentation.




The literature teacher Thereza Vasquez read a letter from the author Paulo Mendes Campos for his daughter when she turned 15 and was presented with the Alice book, "This book is crazy," he says, "the meaning is in you." The writer recently dead Wilson Bueno (a great loss and sadness) gave a hilarious talk about the presence of nonsense in riddles, puns, and sayings of Brazilian popular culture. That's when Alice fell down a rabbit hole in the performance of Brenda Novak, an Alice for many years. See me



After a mad tea party, with the sound of White Rabbit by Jefferson Airplane, among other alicinated songs, it was the turn of the group Frame Circus and Anna Eliza Colomar perform a live soundtrack of the film of Alice in 1903 by Cecil Hepworth and Percy Stow. Keyboards, cello, flute and percussion instruments were accompanied by the legendary Theremin, played with the hand movements in the air.








This was followed by the fantastic factory of Jabberwockys with the reading of four translations of the poem to Portuguese and the original one, accompanied by live music composed especially for the event by the composer and sound designer Paulo Beto. At the same time the exquisite illustrator Manuhell created a monster that appeared on the screen while he drew. Than was the time of the duo Picnic Hipster to play the beautiful version of Donovan of Jabberwocky. And thus ended our history and began new adventures for almost 400 people who attended. Very Merry unbirthday to you too. See me


Donovan


sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Alice 1903 - new amazing soundtrack!

Apresentação da banda Frame Circus (Paulo Beto, Maurício Fleury e Tatá Aeroplano) no evento "Um dia Alice, 2010" da Sociedade Lewis Carroll do Brasil, com participação especial de Anna Eliza Colomar. Teclados, cello, percussão e o legendário instrumento eletrônico Theremim executaram ao vivo uma trilha originalmente composta para o primeiro filme de Alice de 1903, de Cecil Hepworth e Percy Stow. A Trilha sonora original foi composta por Paulo Beto.

Frame Circus and Anna Eliza Colomar perform a live soundtrack of the film "Alice in wonderland" of 1903, by Cecil Hepworth and Percy Stow. Keyboards, cello, flute and percussion instruments are accompanied by the legendary Theremin, played with hand movements in the air. The original Soundtrack was composed by Paulo Beto.



Alice in Wonderland (1903)


terça-feira, 8 de junho de 2010

Morreu o meu grande amigo Wilson Bueno

A Sociedade Lewis Carroll do Brasil informa com grande tristeza o falecimento do escritor Wilson Bueno na última segunda-feira, 31 de maio. Wilson foi um dos palestrantes no nosso primeiro evento de desaniversário no Centro Brasileiro Britânico dia 11 de maio, "Um dia, Alice 2010". Ele era um dos membros mais participativos, entusiasmados e divertidos da Sociedade Lewis Carroll do Brasil, além de ser uma das pessoas mais intensas, inventivas e amorosas que já conheci. Compartilhamos nosso pesar com todos os familiares, amigos e leitores desse brilhante e genial escritor.
Leia AQUI a palestra do escritor "O sentido do nonsense".
Nosso Jabberwocky alicinógeno, para sempre amado, monstro fabuloso, transcriador de linguagens e de bruxedos, querido amigo nunca te esquecerei!
Adriana Peliano
WILSON BUENO, um dos mais expressivos escritores brasileiros contemporâneos, é autor de inúmeros títulos, em várias vertentes e gêneros literários. Autor da novela Mar Paraguayo (editora Iluminuras, São Paulo), publicada na Argentina, Chile, México, Cuba, Estados Unidos, e objeto de teses e seminários num arco que vai da USP à Universidade do Cabo, passando por Berkeley e Sorbonne, é considerada, por sua inventiva construção ( portunhol e guarani) um clássico contemporâneo. Prodigioso fabulista, estrito senso, é igualmente notável e dona de extensa fortuna crítica, o que chama de sua “trilogia zoofílica” constituída por Manual de Zoofilia (Noa Noa), Jardim Zoológico (Iluminuras) e Cachorros do Céu (editora Planeta, finalista do Prêmio Portugal Telecom/2006). Ao lado de Augusto de Campos, Décio Pignatari e Josely Vianna Baptista é um dos únicos autores vivos da literatura brasileira a integrar a recém-lançada, nos Estados Unidos, The Oxford Book of Latin American Poetry ( Oxford Press University, 706 págs.) considerado pelo “New York Times” a mais importante antologia do gênero até hoje publicada em língua inglesa.
O blog WILSONGRANDEAMIGO foi criado em homenagem às nossas parcerias artísticas e literárias.

terça-feira, 27 de abril de 2010

A hora do chá



Izabelle Nossa

Bom dia, meninas!

Tantas coisas aconteceram desde que fiquei sem computador… Vou atualizando vocês aos pouquinhos! Hoje, venho falar desse evento - o “Um dia, Alice”, que aconteceu em abril em São Paulo.

A Adriana Peliano, organizadora do evento e dona deste blog aqui, me convidou para criar e desenvolver os aventais que seriam usados pelos garçons. Tudo personalizado, gente, olha só que luxo. Então, a Adriana me enviou a ilustra do Chapeleiro Maluco, e estampamos nos aventais, que tinham a saia em jeans. Foram 4 aventais feitos, ou seja, 4 garçons elegantes e sinceros desfilando e servindo os convidados.

Olha só como ficou:


Foi um trabalho que, apesar da simplicidade, eu adorei fazer, pois pude constatar o quanto as pessoas confiam na minha equipe e no minucioso acabamento que empregamos em cada peça, e entregam seus pedidos em minhas mãos de olhos fechados, visto que toda a negociação foi feita por e-mail, e os aventais chegaram no dia combinado, exatamente no dia da festa.

Agradeço à Adriana e a todas outras clientes deste Brasil afora que “confiam no meu taco”!

À la prochaine, Adriana!


Fotos: Izabelle Nossa.
Fonte BLOG DA IZABELLE: Atelier de criações Românticas e poéticas (Salvador / BA).



sexta-feira, 16 de abril de 2010

UM DIA, ALICE 2010 video from paulo beto on Vimeo.


Motion graphic design: CHICO JOLVISEN
Sound Design: PAULO BETO

DEPOIMENTO DE WILSON BUENO

"Um dia, Alice", o evento que movimentou das 16 às 20 hs, o último domingo paulistano, 11 de abril, lotando o auditório do Centro Cultural Brasileiro Britânico, em São Paulo, foi um sucesso absoluto, em minha opinião. Desses que raramente acontecem no Brasil. Basta destacar que para um auditório de 200 lugares, havia mais de 400 presenças - sobretudo de jovens, que superlotaram as dependências da Cultural Inglesa, em Pinheiros.

Para mim, que conduzi o bate-papo "O sentido do nonsense", foi alta honra participar do autêntico acontecimento cultural que inaugurou, em altíssimo estilo, as iniciativas - das quais esperamos muitas outras, obviamente -, da Sociedade Lewis Carroll do Brasil, brilhantemente conduzida por este misto de "fada" e artista de alta estirpe que é Adriana Peliano, presidente dessa entidade que veio para ficar, no Brasil. O evento de 11 de abril diz mais do que qualquer depoimento que se faça sobre ele.

Quem sou eu

Minha foto
“Always in search of curious objects, broken toys, bits of things and traces of stories, Adriana Peliano stitches together monsters, desires and fairy tales. Her collages and assemblages are magical and multiple inventories, where logic is reinvented with new meanings and narratives, creating language games and dream labyrinths. Everything is transformed to tell new stories that dislocate our way of seeing, inviting the marvellous to visit our world.” “Sempre em busca de objetos curiosos, restos de brinquedos, cacos de coisas e rastros de estórias, Adriana Peliano costura monstros, desejos e contos de fadas. Suas colagens e assemblagens são inventários mágicos e múltiplos, onde a lógica do cotidiano é reinventada em novos sentidos e narrativas, criando jogos de linguagem e labirintos de sonhos. Tudo se transforma para contar novas estórias, abrindo portas para o maravilhoso.”

Seguidores